E.coli

Segundo ouvir dizer hoje, os homens andam seriamente preocupados. Parece que se fala em E.coli nos pepinos e tomates?! Ainda por cima, uma nova estirpe! Realmente, só o nome arrepia. É preocupante!!!!!

Alex

Publicado em Divagações | Publicar um comentário

Crónicas do A…gain

Ao reler uns antigos posts deste blogue, recordei algumas das cenas hilariantes que vivi com o A…

O Natal estava a chegar, impunha-se apanhar musgo para fazer o presépio atepadamente, na sala de aula. Fomos ao pinhal num dia frio de sol. A paisagem não era animadora, havia montes de entulho por todo o lado e a conversa derivou para a limpeza da mata, ao que o A… acrescentou:

– Eu cá, gostava de ajudar a limpar esta mata.

Diz a minha colega (fã da ecologia), feliz da vida:

– Ai sim? Então e que fazias para ajudar a limpar isto tudo? – Ao que o A… respondeu prontamente:

– Pegava numa motosserra, fornicava estes pinheiros todos!!!!

Ele, como já disse, foi uma das pessoas que mais me marcou até hoje, quer pelo que aqui vou escrevendo, quer por tudo o resto 🙂

Alex

Publicado em Alunos e Profs | Publicar um comentário

Uma questão de higiene…

Ouvi, mas nem queria acreditar! Alguém se dirigiu a mim para dizer:

“Quando vou à casa-de-banho não preciso de lavar as mãos, porque não seguro ‘nele’, não é?”

Não, não é… mas vá lá eu explicar isso à cheirosa pessoa! Já agora, aproveito para dizer que é a mesma pessoa que há uns anos atrás me disse que não precisava de tomar duche de manhã, porque não transpirava de noite. Pois, mas se calhar fazia-lhe bem, aliviava-lhe o mau feitio e a maldade!

Alex

Publicado em Pessoas à minha volta, Uncategorized | Publicar um comentário

PRESERVATIVOS?!

Há dias alguns alunos tentavam reentrar na escola, quando foram impedidos pela funcionária de serviço à portaria. Ao que parece, os miúdos não perceberam muito bem a prelecção sobre sexualidade que se seguiu… Mais tarde, foi desfeito o equívoco.
A senhora viu-os entrar com uns preservativos na mão, daí a confusão gerada. Acontece que os miúdos vinham da pastelaria e o que traziam na mão, eram uns pequenos pacotes de maionese e ketchup…
Convém esclarecer que a funcionária é solteirinha da silva e já de uma certa idade 🙂

Publicado em Pessoas à minha volta, Uncategorized | Publicar um comentário

Virus

Lembram-se de quando começaram a chegar os primeiros Magalhães?

Eu lembro, mas já me tinha escapado da memória uma história que aconteceu por essa altura…

Uma mãe, ciosa da preciosodade que o filhote recebera das mãos do sr representante do ME, dirigiu-se aos serviços administrativos do agrupamento para reclamar. Queixava-se a senhora do mau funcionamento de tão importante instrumento de ensino/aprendizagem. Algo corria mal e, à sua maneira, lá foi explicando o que se passava. Depois de ouvir atentamente, a funcionária pergunta-lhe:

– Olhe lá, isso não será algum virus que ele apanhou?

Resposta imediata e em tom convincente por parte da senhora:

– Ah, não! Isso não, que eu limpo-o sempre com um algodão e álcool!

Publicado em Pessoas à minha volta, Uncategorized | Publicar um comentário

Ouvi… e acreditei!!!!

Pois é, às vezes ouvimos coisas inacreditáveis… mas esta, ouvi e acreditei 🙂

É típica de quem veio…

Estava a tomar o pequeno-almoço e quase cuspi o leite ao ouvir ao meu lado:

“Ó … dê-me lá outro pequeno-almoço, que até já estou em jejum outra vez!”

Alex

Publicado em Pessoas à minha volta, Uncategorized | Publicar um comentário

Há dependência e dependência…

Pois é… mais um pequeno ruído de comunicação…

Uma aluna apresentava um trabalhinho de Área de Projecto sobre o álcool. Lá ia falando…”e o álcool cria dependência…”

Diz o professor: “Dependência? o que é isso de dependência?”

A moça ficou caladita, mas um coleguinha resolveu ajudá-la:

“Dependência é uma PARTE DA CASA!”

não se aturam… juro que não se aturam 🙂

Alex 28-01-2011

Publicado em Alunos e Profs, Uncategorized | Publicar um comentário

O homem moderno!!!!

Este ano reparei uma coisa na praia. Toda a gente parece que faz a depilação. E por toda a gente entenda-se miúdos de 18 anos, coisa que eu quero desesperadamente parecer.
Olho para o meu grupo de amigos: temos todos barriga de cerveja, a maioria ou é careca ou está para ser e pior temos pêlos nos sovacos.
E parece que ter pêlo no sovaco é coisa de velho. Vai daí, decido no outro dia entrar nesse fascinante mundo novo da depilação masculina.
 Saco da minha Gillete e do meu aparador de cabelo e começo a minha demanda. Dura aproximadamente duas horas e no fim tenho a casa de banho com pintelhos na minha escova de dentes.
Mas desde logo noto a evidente mudança: a minha pila parece visivelmente maior atingindo facilmente os 20 cm. Com os pêlos do peito cortado pareço 20 quilos mais magro. E os tomates roçam de alegria um no
outro, pela primeira vez desde os meus doze anos. Rapidamente quero mostrar ao mundo a minha nova imagem, razão pela qual usei durante uma semana t-shirts de gola em bico até ao umbigo e calças de cinta descida.
O pior no entanto ainda estava para vir. Parece que uma semana depois do meu novo look, os pêlos começaram a querer crescer.
 Neste momento não consigo caminhar dois passos sem ter que coçar os tomates. Não consigo sequer juntar as pernas pelo que pareço alguém que foi enrabado há dois minutos (imagem à qual t-shirts com gola em bico não ajudam).
É impossível usar cinto de segurança, porque me toca no peito, e eu tenho alguns 2000 pêlos encravados incluindo nos mamilos.
Para a próxima, quando quiser parecer jovem e na onda da crista, começo mas é a fumar ganzas.
 
Recebido por e-mail 🙂
Publicado em Mails dos Outros, Uncategorized | Publicar um comentário

A propósito de exame do condução

 

Após um grave acidente de viação, em que eu e a mãe fomos cuspidas do carro, tendo ela aterrado 50m à frente do carro e eu desaparecido de vista misteriosamente, ao ponto de acharem que estava debaixo da carroçaria esmagada, a mãe foi fazer o tal exame de condução. Sendo que uma amolgadela no tejadilho do carro lhe fez um rasgão na cabeça onde levou 20 e muitos pontos, será natural esperar que pensasse duas vezes antes de o fazer…

Acham? Qual quê, ainda com os pontos e o penso a atravessar-lhe o penteado à fadista, ela aí vai, bejeca entornada, fazer o exame.

Horrorizado com o tamanhão da ferida, o examinador pergunta-lhe o que lhe tinha acontecido, ao que ela responde “Foi um acidente de automóvel.” Perplexo, e desconhecedor da tempra de que são feitas as mulheres da Mouraria, o senhor pergunta-lhe:

– Então e a senhora não tem medo de vir fazer exame ou de conduzir?

– Eu não, quem teve o acidente foi o meu marido!

Alex

 

PS – Para aqueles de vocês que ficaram a pensar como raio sobrevivi àquele acidente, eu passo a explicar. Eu ia ao colinho da mãe a beber o biberão quando fui projectada. Voei até à berma, onde fui aparada por um tapete de folhas outonais e, providenciais, que não só me serviram de berço, como de coberta… Com o biberão atracadinho a mim, só dei sinal de vida quando o conteúdo do mesmo se esgotou!

Publicado em Entre os Meus | Publicar um comentário

SE FOR FAZER EXAME DE CONDUÇÃO, BEBA UMA BEJECA!

 

Pois é, acho que já vos falei algures das excentricidades da minha avó materna. Voltamos a ela… Desde obrigar a minha mãe a pendurar-se no cimo das portas para crescer, até não a deixar andar despida na frente da TV por causa dos homens não a verem… a triste da mãe, passou por tudo!

Ora, sempre que havia momentos propícios a um certo nervosísmo, a avó obrigava a mãe a beber um xarope horroroso feito a partir da flor de laranjeira. Tal asco ganhou ela à beberagem que, no dia do exame de condução, para relaxar os nervos, emborcou uma cervejola para descomprimir!

Valente mãe!!!!!!!!!!!!!!

 

Alex

Publicado em Entre os Meus | 1 Comentário